Qual a diferença entre o Óleo sintético e mineral

30 de novembro de 2019
Posted by: lifanmichelin

Você sabia que é muito importante entender a diferença entre os tipos de óleo lubrificante?

Óleo lubrificante mineral

Quais são as características do óleo mineral?

O óleo lubrificante mineral é produzido por meio de uma combinação de aditivos e óleos básicos obtidos pelo refino do petróleo. Eles não são tão desenvolvidos quantos os sintéticos e semissintéticos, possuindo mais impurezas em sua composição.

No entanto, ainda são o produto mais comum e tradicional do mercado.

Isso porque o óleo mineral tem sido usado desde o surgimento dos primeiros veículos automotivos.

Há anos esse produto auxilia o funcionamento de motores a gasolina e a diesel.

As principais características do óleo mineral são:

  • Menor preço;
  • Atender às exigências dos carros mais antigos;
  • Dura menos, necessitando de maior quantidade de trocas.

Óleo lubrificante semissintético

Entenda o que é o óleo lubrificante semissintético

O óleo semissintético é também uma base mineral que passa por vários processos de desenvolvimento. No entanto, após o acréscimo de aditivos, a quantidade de óleo mineral que está no produto é pequena.

Sendo assim, o lubrificante não pode ser considerado um óleo sintético ou mineral pois em sua composição há .óleos sintéticos com óleos minerais.

A nomenclatura “semissintético” foi escolhida para esse produto.

Algumas características do óleo semissintético são:

  • Maior estabilidade térmica e oxidativa se comparado ao óleo mineral
  • Melhor capacidade de manter a viscosidade adequada
  • Pouquíssimos contaminantes presentes

Óleo lubrificante sintético

Quais são as características do óleo sintético?

O lubrificante sintético é produzido a partir da mistura de óleos básicos sintéticos e aditivos.

A palavra “sintético” indica que houve manipulação para tornar o óleo mais aprimorado que os minerais e semissintéticos.

O produto, como resultado, é mais robusto, apresentando maior durabilidade e mais eficiência. Livre de contaminantes, esse tipo de óleo normalmente apresenta um melhor desempenho na lubrificação do motor.

Esse tipo de óleo lubrificante costuma responder muito bem às chamadas “condições severas de uso”. Se o carro é usado diariamente em situações de trânsito complicado, por exemplo, o ideal é usar o óleo sintético. É sempre bom lembrar que a maioria das grandes cidades brasileiras representam condições severas de uso para os veículos.

Em relação à durabilidade, os óleos sintéticos apresentam um período maior entre trocas de óleo em comparação com qualquer outro tipo de lubrificante, pois possui uma composição química sofisticada, proporcionando menos oxidação nas peças lubrificadas.

As principais características do óleo sintético são:

  • Alta durabilidade, maior do que qualquer outro tipo de lubrificante;
  • Responde melhor aos carros mais modernos do mercado;
  • Propicia mais economia de combustíveis;
  • Excelente relação custo/benefício;
  • Forma menos borra.

Qual a é o melhor para o carro?

Entenda como escolher a melhor opção para o cliente: óleo sintético ou mineral?

A melhor opção para o carro do cliente consta no Manual do Proprietário.

Após inúmeros testes, a montadora encontra o óleo que proporciona o melhor desempenho para o motor. Não existem motivos para não usar o produto recomendado, então. Mas claro: quando um cliente te pergunta se deve usar o óleo sintético ou mineral, você precisa explicar melhor.

Apenas dizer que ele deve usar o indicado no Manual do Proprietário pode soar um pouco preguiçoso. Então, procure explicar sempre quais são as diferenças e porque você está indicando o óleo sintético ou mineral. E isso não é apenas para que o cliente sinta que você sabe o que está fazendo, mas também para que ele perceba transparência no serviço, um fator muito importante para a fidelização do cliente.

Deve ficar claro que você não está apenas recomendando “o mais caro”, e sim o melhor para a situação dele.

+ Nível de óleo na medida certa – 5 Recomendações para manter a saúde do motor do seu carro

troca-de-oleo-oficina-michelin-botucatu-dicas
troca-de-oleo-oficina-michelin-botucatu-motor

CONCLUSÃO

Em 3 coisas o Audi Q3 superou o Caoa Chery.

E aí, é melhor usar o óleo sintético ou mineral?

Como a maioria das coisas quando se fala de veículos, depende muito do motor.

O ideal é seguir sempre a recomendação da montadora que consta no Manual do Proprietário. Se o cliente não possuir mais o documento, você normalmente pode descobrir o óleo recomendado no site da marca.

No entanto, é importante lembrar das informações que você aprendeu nesse post.

Isso porque todo cliente se sente mais seguro quando recebe explicações claras.

Saber explicar o motivo da recomendação do óleo sintético ou mineral garante que seu cliente sinta transparência e solidez no serviço prestado.

Vamos repassar as diferenças entre óleo sintético e mineral, então:

  • O óleo mineral foi refinado do petróleo, ainda contendo impurezas. O sintético é feito a partir de bases sintéticas e aditivos e não apresenta impurezas.
  • O óleo sintético apresenta melhor durabilidade e desempenho, mas é mais caro do que o óleo mineral.
  • O óleo mineral atende às necessidades de carros antigos, e o sintético é mais indicado para os modernos.
  • O óleo sintético funciona bem em situações severas de uso, enquanto o mineral não é ideal nesses cenários
  • O óleo sintético forma menos borra que o mineral

Deixe uma resposta